Além de diversos outros problemas de saúde, a obesidade está também associada a um risco maior de demência na terceira idade. Esta foi a conclusão de um estudo, que acompanhou mais de um milhão de mulheres de meia-idade, durante quase vinte anos.

Realizado no Departamento de Saúde Populacional na Universidade de Oxford, no Reino Unido, o trabalho analisou o perfil de mulheres nascidas entre 1935 e 1950. Foram observados o peso, a altura, a dieta e a atividade física praticada por cada uma delas. No início do estudo, a idade-média das participantes era 56 anos. Nenhuma delas apresentava qualquer sinal de comprometimento cognitivo.

Ao considerar o Índice de Massa Corporal (IMC), a relação entre o peso e a altura adotado pela Organização Mundial da Saúde para identificar o peso ideal de um indivíduo, os pesquisadores consideraram o valor entre 20 e 25, normal, e acima de 30, obesidade. Quanto à atividade física, foram consideradas ativas as mulheres que faziam exercício físico mais de uma vez por semana. O consumo calórico também foi registado.

Após 15 anos do início do estudo, os pesquisadores observaram que as mulheres que eram obesas no início do estudo, ou seja, com IMC acima de 30, apresentavam o risco de desenvolver a demência elevado em mais de 20%, se fosse comparado ao risco das mulheres com o peso adequado.

O estudo, publicado pelo periódico Neurology, também demonstrou que a dieta pobre e o sedentarismo não aumentam o risco de forma considerável a longo prazo. No início da pesquisa, eles até mostravam-se comprometedores. Mas perdiam a força à medida que essas mulheres envelheciam. Quando a idade avançava, a falta de atividade física e a perda de peso eram vistas como os primeiros sinais da demência – e não a causa.

Há algo, no entanto, que é real: a obesidade eleva o risco de doenças associadas ao desenvolvimento de demências na terceira idade. Portanto, ao cuidar do peso, da pressão arterial e do colesterol, o cérebro também se beneficia.

Fontes: American Academy of Neurology e University of Oxford Medical Sciences Division

Atualizado em 16/07/2020.

Partilhar: